6 de agosto de 2017

#BEDA6 | ELA SÓ QUERIA AMAR

Assim como todo mundo, ela só queria alguém pra conversar de madrugada, para compartilhar o pote de nutella, para filosofar sobre a vida e para comemorar até as menores conquistas. Alguém por quem o sentimento fosse recíproco e capaz de fazê-la tremer nas bases, uma pessoa por quem valesse abrir mão de alguns sonhos e se aventurar pelo mundo. E ela encontrou, mas não pôde declarar seu amor. A família dela era religiosa demais e jamais aceitaria uma situação dessas, não é normal todos diziam, e ela se perguntava - desde quando amar virou uma coisa anormal? Apenas não entendia. Ela só queria amar, fazer morada naquele abraço quentinho que fazia com que se sentisse segura o suficiente para enfrentar todos os seus problemas.

Não foi uma, duas ou três noites que ela passou chorando pela dor que sentia, foram tantas que acabou perdendo as contas. A garota que antes sorria por qualquer besteira, que andava toda contente e saltitante, foi perdendo a cor, a viscosidade. Começou a murchar como uma flor que não é regada e cuidada. Começou a se sentir só e preferia se trancar em seu universo particular porque lá ninguém a incomodaria com essa ladainha toda de pecados. Ela só queria amar, se apaixonar todos os dias pela garota que andava roubando a sua concentração, que fazia seu coração pulsar mais rápido a cada olhar desconfiado. 

Queria poder compartilhar de tardes tranquilas ao som das canções que se tornaram preferidas de ambas, só queria poder declarar em sussurros o quanto aquele sentimento lhe fazia bem. Era amor e nada podia fazer contra isso. Mesmo assim tentou, se apegou as teorias de que era uma fase e que não valia à pena remoer esse sentimento. Escutava quase sempre - olhe só como o fulano é legal, porque não conversa com ele? Talvez role uma química entre vocês. O problema é que o coração dela já tinha dona e isso não permitia que tivesse olhos para outra pessoa. E no fundo ela gostava disso, porque pela primeira vez pertencia a alguém que de fato lhe queria bem. 

Fez de tudo para esconder o sentimento, mas não sabia como controlar o sorriso quando recebia uma mensagem da amada ou até mesmo quando se deparava com ela na rua. Já era automático, não conseguia se segurar, era forte demais o que sentiam uma pela outra e era lindo de se ver como se davam bem quando estavam juntas. Só que o amor não era suficiente, Ella ainda não trabalhava, morava com a família, havia acabado de completar 18 anos e mal sabia o que era viver. Tinha muitos medos e receios e decidiu pelas duas que não valia a pena continuar lutando, pediu que a pobre garota fosse embora da sua vida, precisava esquecer o que sentia de uma vez por todas e só conseguiria isso se mantivessem distância. 

Mas Ella não conseguiu esquecer, e todos os dias chorava agarrada as lembranças e travesseiros todas as dores que ainda carregava no coração por ter que esconder o seu amor de todo mundo. Estava exausta de fingir estar bem sem estar e continuar sorrindo como se nada estivesse acontecendo. É que ela não suportava a ideia de quererem lhe rotular. Havia demorado muito tempo para se aceitar, para entender o que estava acontecendo, para digerir tanto comentário desnecessário, para compreender que precisava mesmo era ter medo de não amar e não o contrário. E hoje ela ainda se pergunta se um dia vai ter força suficiente para lutar por esse amor, porque no fim das contas ela só queria amar.
#BlogEveryDayinAugust2017

2 comentários:

  1. MEU DEUS DO CÉU EU ESTOU NO CHÃOOOOOOOOOOOO <3 Que texto mais incrível meu amor, adorei! Você arrasa♥
    Beijãooooo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AAAA meu amor, fico tão feliz por você ter gostado <3

      Excluir

© BLOG OXITOCINA. Todos os direitos reservados.
Editado por: VICTÓRIA DANTAS.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo