8 de agosto de 2017

#BEDA8 | ALIMENTE SUA ALMA

Talvez esse pudesse ser um daqueles posts sobre como ser fitness (mas cá entre nós, eu não levo o menor jeito para ser saudável). Sempre falo que não vou comer besteiras e quando dou por conta já estou na rodinha dos amigos, agarrada com um sandubão gorduroso haha Brincadeiras à parte, hoje eu quero refletir com vocês sobre como temos alimentado a nossa alma, nosso interior, nossa vida em si.

Não vou começar esse post falando que você deve ter uma vida minimalista, fazer yoga, prestar homenagens a buda ou algo do tipo, até porque alimentação (seja alma, seja comida em si) depende da necessidade de cada um. Somos todos diferentes e cada qual a seu modo de viver. Então como sempre, resolvi trazer apenas uma reflexão sobre o que temos feito por/para nós mesmos, além de seguir o fluxo que chamamos de rotina.

Desde o ano passado, reparei que quanto mais eu agradeço, mas me torno leve, mas me sinto bem, mas me sinto grata, verdadeiramente, não por obrigação, não para ser agradável aos olhos de outrem. Aos poucos fui percebendo que quanto mais eu abria o meu coração às boas vibrações, mais feliz eu me tornava, preciso salientar que não é porque você agradece que a sua vida vai se tornar a coisa mais fácil de se viver. Entrego, confio e agradeço, sigo vivendo, dias de guerra, dias de glória.

Pense em um jardim: cerca branca, flores vivas, árvores com suas folhas verdosas, cores que brilham aos olhos, uma grama macia para lhe acariciar os pés. Este é um jardim cuidado com muito carinho, não acha? Da mesma forma é a nossa alma, quando tratada da maneira certa, ela floresce e se torna lugar de descanso.

Agora pense comigo: o que aconteceria se o jardineiro (nesse caso você) deixasse de cuidar do jardim? Consequentemente, as flores murchariam, as árvores perderiam sua glória, talvez a grama por sua vez tomasse conta de tudo e a cerca antes tão linda, agora em pedaços. É isto que se sucede quando no lugar de agradecer, reclamamos sem parar. No lugar das flores, nascem ervas daninhas. Você se cerca de coisas ruins, pensamentos, palavras, ações, e a vida se torna pesada demais, o sistema trava e você vive em um circulo vicioso de chuva ácida.

Faça um teste: quando a chuva molhar a roupa estendida no varal, não reclame, recolha as roupas e agradeça pela chuva que chegou, se der, pule nas poças, faça seu lado criança feliz. Quando não der tempo fazer tudo que você planejou para aquele dia, pare, respire e agradeça por ter feito o que pôde. Quando a luz faltar, acenda velas, chame a família e conversem como nos tempos de vó. Quando se atrasar para o trabalho/escola/compromisso, se acalme, agradeça por ter conseguido levantar e aproveite para reparar na vida ao seu redor. O sol brilha para todos, as flores enfeitam os caminhos.

Alimente a sua alma com coisas boas e ela dará ótimos frutos, gratidão hoje, gratidão sempre!
#BlogEveryDayinAugust2017

4 comentários:

  1. Eu também sou dessas, não sei ser fitness. Eu como mesmo!
    Mas vamos falar sobre a reflexão que seu post trás, se não formos bons jardineiros para nós mesmos, quem será o jardineiro para nós? Ninguém.
    Acredito que estamos perdendo os detalhes da vida, a essência. E essa essência, depois de um tempo não tem como recuperar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comer é bom demais hahaha E sim, estamos perdendo os detalhes da vida, vivemos tão ocupados que nem nos damos conta que a vida tá passando e que o tempo perdido não volta mais :( Precisamos viver de verdade!

      Excluir

© BLOG OXITOCINA. Todos os direitos reservados.
Editado por: VICTÓRIA DANTAS.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo